• Dr. Manuel Barrios

IMPLANTES DENTÁRIOS: 10 mitos e verdades

Os benefícios gerados pelos implantes dentários vão além da estética, permitindo também melhora mastigatória, fonética, nutricional e emocional aos pacientes. Mas ainda existem muitas dúvidas envolvendo esse assunto. Para acabar com isso, iremos revelar o que é mito e o que é verdade sobre os implantes.


Dr. Manuel Barrios, especialista em implantodontia e reabilitação oral.

1. Qualquer pessoa pode colocar um implante Verdade, mas existem alguns pontos a serem observados para garantir o sucesso do tratamento. É fundamental que o paciente esteja com sua saúde sistêmica sob controle, por exemplo, aqueles que têm cardiopatias e diabetes podem fazer o procedimento desde que essas doenças estejam controladas. Outro fator é a idade. É importante esperar o término do crescimento ósseo.


2. O organismo pode rejeitar o implante

Mito. Não existe rejeição dos implantes pelo organismo. Os implantes são feitos de titânio e esse material é inerte ao osso. É importante salientar que, trata-se de implante e não transplante, onde há reação antígeno-anticorpo. Os insucessos (que são raros) podem ocorrer devido a problemas na cirurgia, no pós-operatório, pela qualidade do osso ou problemas mecânicos relacionados à prótese, mas não por rejeição.


3. Implantes são mais indicados para idosos Mito. Os implantes são a melhor opção para quem perdeu um dente. Reforçando que para pacientes jovens é importante esperar o término do crescimento ósseo que acontece no sexo feminino entre os 17/18 anos e no masculino com 18/19 anos. Existem exames específicos para aferir essa situação.


4. Após a perda do dente, quanto antes se fizer o implante, melhor Verdade. Com a perda do dente há um processo fisiológico de reabsorção óssea que varia de pessoa para pessoa, podendo prejudicar a instalação do implante caso haja demora em colocá-lo. Quando isso acontece, pode se tornar necessário fazer um enxerto ósseo, aumentando a complexidade do caso.


5. Hoje em dia, para colocar um implante não é preciso fazer nenhum corte na boca do paciente Mito. Em determinadas situações, o implante pode ser colocado sem corte, porém essa técnica nem sempre pode ser aplicada em todos os casos. É preciso fazer uma avaliação clínica e tomográfica para verificar se é possível instalar o implante dessa forma.


6. O implante sempre deixa um aspecto artificial Mito. A partir do momento que é feito um planejamento correto do caso, observando todos os detalhes envolvidos, a técnica de implante preenche todos os requisitos estéticos e funcionais.


7. Fumar atrapalha o tratamento Verdade. Fumar aumenta o risco de infecção após a cirurgia causando uma cicatrização mais lenta. Pesquisas mostram que o índice de insucesso de implantes em pacientes fumantes aumenta cerca de 20% em comparação a pacientes não fumantes.


8. Quem usa dentadura, não pode colocar implantes Mito. Pacientes que usam dentadura não só podem, como devem colocar implantes, desde que possuam disponibilidade óssea e saúde para isso. Atualmente esta é a melhor opção para quem perdeu um ou mais dentes. Trocar o trabalho removível para um apoiado sobre implantes além de dar mais segurança, aumenta a qualidade de vida. Se for possível colocar um trabalho totalmente fixo o conforto aumenta ainda mais.


9. É possível fazer um implante para repor cada dente perdido Verdade. Pode ser possível, mas não é conveniente, pois para a instalação de cada implante é necessária uma determinada distância entre eles. Se isso não for respeitado, a viabilidade de higienização pode ficar prejudicada, assim como a estética.


10. Implantes aumentam os problemas de inflamação na gengiva (periodontite) Mito. Os problemas de inflamação da gengiva são de origem multifatorial, ou seja, fatores associados a bactérias da cavidade oral, má higienização, entre outros. O paciente para receber implantes deve ter a saúde oral perfeita. E assim deve continuar. A partir do momento que os implantes forem instalados, o paciente deve receber acompanhamento profissional e realizar consultas de revisão. É importante relatar que a mesma doença que acomete os dentes, se não tratada, pode se instalar nos implantes, levando ao insucesso do procedimento.


Dr. Manuel Barrios, especialista em implantodontia e reabilitação oral,

Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética e

International Federation of Esthetic Desntistry.

503 visualizações
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon